sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Você entende o seu Extrato Bancário???

Talvez um dos maiores mistérios para a grande maioria tanto de empresários como de simples correntistas seja o perfeito entendimento do extratos de suas contas bancárias.A maior parte até desiste de compreendê-lo e o reduz a apenas uma única informação, qual seja o “saldo disponível para saque”, porém entre esta informação e o “saldo anterior”, inúmeros lançamentos ocorrem e que geralmente passam despercebidos ou sequer conseguem ser compreendidos.Entendemos que a FEBRABAN, entidade que congrega as instituições financeiras, deveria ser mais rigorosa no sentido de exigir que seus filiados fossem mais transparentes e explicativos com o intuito de não exigir que apenas gerentes ou consultores especializados consigam decifrar determinadas ocorrências.Além disso, grande parte do fluxo de clientes nas agências bancárias, está lá de alguma forma para buscar explicações ou contestações sobre lançamentos que não conseguiram identificar a origem.Relaciono a seguir alguns dos principais problemas evidenciados nos extratos da grande maioria dos bancos:1- Excesso de abreviações- Observamos que o hábito pela condensação exagerada de letras ocorre com freqüência nos bancos.Lançamentos como “T.A. Dep”, jamais remeterão o correntista a saber que na realidade estamos diante de uma Tarifa de Adiantamento a Depositante, ou então “A.Emp” correspondendo a Amortização de empréstimos.2- Nomenclaturas Repetidas- Costumeiramente temos a mesma descrição para representar lançamentos diferentes, por exemplo “Débito de Empréstimos” para representar tanto a tarifa bancária da operação como a amortização em si do empréstimo.3- Aplicações Automáticas- Grande parte das dúvidas referem-se a pergunta chave, afinal quanto eu tenho disponível na minha conta sem contar com meu limite? Muitas instituições criam aplicações automáticas que resgatam o valor disponível na conta corrente diariamente para aplicações que inclusive são de baixíssima rentabilidade. No momento então de compor o saldo, o correntista geralmente precisa somar o saldo da sua conta corrente com o saldo desta aplicação financeira o que normalmente deixa muitos clientes completamente perdidos.4- Lançamentos em Datas Posteriores- Muitas operações bancárias possuem inerentemente tarifas associadas às mesmas, as quais seriam incidentes no momento da contratação. Observamos em algumas situações que o seu débito não ocorre no mesmo dia, talvez para gerar o vínculo da mesma e chamar muito a atenção do correntista, e sim alguns dias depois. Desta forma ele passa como mais uma tarifa que incidiu na conta e não é atrelada àquela operação.5- Pacotes de Tarifas – Praticamente todas as instituições possuem os chamados pacotes tarifários que são cobrados mensalmente e que garantem a realização de determinado número de produtos e serviços. Antes de contratar o mesmo, estude cuidadosamente a sua movimentação financeira, número de depósitos, número de transferências, DOCs, TEDS, número de cheques depositados, cheques emitidos, etc, pois as tarifas de ultrapassagem do limite de um pacote costumam ser bastante indigestas e até triplicam o valor de referência do mesmo. Não se esqueça de dar sempre preferência àqueles bancos que possuem fortes descontos nos seus pacotes em função dos valores aplicados na instituição, que em algumas situações pode levar esta tarifa para zero.6- Renovação de Limites- Normalmente os limites de conta garantida ou cheque especial como são usualmente chamados, possuem um prazo determinado através de contrato que podem ter periodicidade trimestral, semestral, por exemplo. Muito dificilmente alguém acompanha a data de renovação de seu contrato e observamos que em alguns casos, o gerente só entra em contato com o cliente passados alguns dias deste vencimento. É aí que pode residir o principal problema, pois neste período, a conta, caso tenha se valido deste limite, deixou de estar atrelada à sua taxa usual e pode ter ido para uma taxa padrão da instituição que normalmente é o dobro ou triplo daquela contratada, o que, ainda por poucos dias pode trazer sérios prejuízos para o correntista. Outra dificuldade atrelada a esta ocorrência, é que estes juros normalmente só serão cobrados nos primeiros dias do mês subseqüente, conjuntamente com outras utilizações de limite, o que para um leigo é praticamente impossível de calcular e verificar se a cobrança está efetivamente correta.Esses são alguns dos exemplos que vivenciamos no dia a dia, seja de empresas ou pessoas físicas, poderíamos ainda, citar inúmeras situações, mas nosso intuito é apenas alertar para que as instituições façam seus extratos mais auto- explicativos e com isso evitem inúmeras sensações, às vezes falsas, dos clientes, de que sempre estejam sendo lesados.
Adaptado pelo Prof. Rodrigo Vargas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário